Anish Kapoor é o tipo de artista plástico que não gosta de se passar desapercebido. Sim, ele faz questão de ter todas as luzes apontadas para ele quando “sobe ao palco”. Talvez por isso esteja no topo da cadeia-alimentar do mundo artístico, com obras espalhadas por todos os lugares, como Nova York, Londres, Milão e Holanda. É verdade que ele gosta de curvas, de cores, de espelhos. O homem, dizem os especialistas, é um inovador. Mas o que ele gosta mesmo é de causar, de impressionar e chocar as pessoas.

Isso é tão verdadeiro e profundo, que seu último trabalho, batizado de Dirty Corner (Canto sujo, em tradução livre), Kapoor conseguiu abalar as estruturas da nada conservadora sociedade parisiense, teoricamente amante das artes e do amor livre (não é assim que vemos nos filmes e livros?). Por conta dessa escultura, enquanto uns ratificaram seu status de gênio, outros o acusaram de ser um velho desrespeitoso sem-vergonha que passa dos limites.

Mas afinal, como uma escultura tem o poder de causar tanta controvérsia?

Primeiramente, é sempre bom lembrar que estamos falando de Kapoor. Sua presença é simplesmente polêmica. Segundamente, uma “vagina inglesa gigante”, medindo 60 metros de comprimento e 10 metros de altura, não é exatamente o que aquele grupo específico de franceses quadrados querem ver no quase sagrado jardim do Palácio de Versalhes. Pelo menos é essa a impressão que ficou depois de um grupo sem noção pichar a obra de arte.

Bom, talvez o artista tenha realmente pegado pesado. O Dirty Corner foi chamado de vagina por ele mesmo. Na verdade, ele classificou sua obra como “a vagina da rainha assumindo o poder”. Talvez essa declaração tenha causado um impacto muito maior no imaginário dos pobres filhos do Les Miserables do que a escultura em si que, convenhamos, pouco lembra uma genitália feminina (talvez minha declaração fosse um pouco diferente se eu tivesse uns 15 anos de idade).

Como chegar

Ficou curioso em ver a “vagina da rainha”? É muito fácil de encontrá-la. A escultura está bem em frente ao Palácio de Versalhes. Confira neste post do Conexão Paris as melhores formas de chegar até lá, conforme a região em que estiver hospedado em Paris.

Ou confira nosso mapa abaixo com o trajeto do Centro de Paris até Versalhes.

Depois conta pra gente o que achou.

Like this Article? Subscribe to Our Feed!

(Visited 605 times, 1 visits today)

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.