É brasileiro? Não! Então é o uruguaio, claro! Só que não. Ah, só pode ser o dos argentinos, né? Pois bem, não é! O melhor churrasco do mundo é o… (suspense) inglês.

Polêmico isso, né? Mas foi o time da terra do rock que marcou mais pontos em uma competição organizada pela Associação Mundial do Churrasco. Os hermanitos, acredite se quiser, ficaram em último lugar no evento realizado mês passado, na Suécia (explicamos isso adiante).

Os competidores foram desafiados a assar diferentes tipos de carnes seguindo determinadas regras. Era obrigatório, por exemplo, o uso de churrasqueira (óbvio?), do molho barbecue e um tempo mínimo de duas horas em cima da brasa. Quem conhece e gosta do churrasco argentino (não é caso do nosso editor, que é vegetariano) sabe que isso não tem nada a ver com a receita original da república banhada pelo Plata. Foi então que os argentinos “quebraram” tudo e assaram a carne do jeito tradicional de seu país, com fogo no chão e molho chimichurri numa carne quase crua. O resultado, você já sabe.

Bom, mas antes que você corra para a Inglaterra para provar o “melhor churrasco do mundo”, aviso que o único país da América do Sul a participar dessa competição foi lamentavelmente o pior colocado. Uruguai e Brasil ficaram de fora, então não se sabe oficialmente se suas receitas são tão boas quanto a dos vencedores (aposto que há grandes chances de serem ainda melhor). Aliás, a maioria dos competidores eram da Europa, terra onde o churrasco definitivamente não é o prato mais apetitoso, a não ser que você vá em uma legitima churrascaria brasileira ou argentina.

Para saber mais sobre a competição, visite o site da Associação Mundial do Churrasco (em inglês).

Like this Article? Subscribe to Our Feed!

(Visited 1.391 times, 29 visits today)

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>