O custo de vida no estrangeiro é a primeira preocupação que passa pela cabeça de quem pretende morar fora do Brasil, principalmente agora que nosso pobre dinheiro perdeu substancial valor frente a quase todas as moedas do mundo (não foi só o dólar que se valorizou diante do real, como gosta de dizer a presidente Dilma). E no topo dessa lista está o preço do aluguel. Pelo menos comigo é assim. Penso primeiramente em quanto vou gastar com moradia e depois vejo o que sobra (se sobrar algum) para comer e me locomover pela cidade. rs

Bom, brincadeiras e exageros gauchescos a parte, quando nos referimos à União Europeia (UE), temos que ter em mente que estamos falando de 28 estados-membros, cada qual com suas particularidades culturais, geográficas, linguísticas, gastronômicas, étnicas e econômicas. Sim, por mais que a maior parte dos integrantes da união tenham o euro como moeda comum, a diferença no tamanho da economia de cada um interfere diretamente no preço dos bens de consumo e, principalmente, serviços locais, incluindo aí o aluguel. E, acredite, as diferenças de um canto para outro podem ser gigantescas.

Como mostra um estudo da Nacional Housing Federation, uma organização britânica que luta por moradia descente e acessível no Reino Unido, é lá na terra da rainha Elizabete que as pessoas pagam os alugueis mais caros da Europa. Em média, é preciso desembolsar 902 euros (cerca de 3.120 reais) pela casa, enquanto a média do continente é de 481 euros, o equivalente a 1.660 reais.

Como você percebeu, o Reino Unido puxa muito a média para cima. Então é de se supor que o aluguel de muitos países estejam abaixo desse valor. Por exemplo em Portugal, destino bastante popular entre os brasileiros, essa média é de apenas 275 euros (950 reais), enquanto na Letônia, país que ninguém sabe onde fica (e talvez nem queira saber), pela bagatela de 186 euros (643 reais) mensais você tem sua casa garantida.

Mesmo em outros países mais ricos e populares, como a França e Alemanha, a média do aluguel não chega ao absurdo praticado no Reino Unido, ficando por volta de 600 euros (2075 reais), mais ou menos o mesmo preço praticado na cidade de São Paulo. E Berlim ainda estabeleceu uma regra para que a especulação imobiliária não acabe gerando uma gendrificação em alguns bairros. Para isso, a prefeitura da cidade proibiu que novos contratos de alugueis custem mais do que 30% da média praticada localmente.

Confira no mapa abaixo a média do preço dos aluguéis de todos os países da União Europeia.

Mapa do aluguel na Europa

Mapa do aluguel na Europa

 

Like this Article? Subscribe to Our Feed!

(Visited 3.485 times, 16 visits today)

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>