Hoje,7/5, é dia de eleições no Reino Unido. Ao todo, serão escolhidos 650 deputados (tem até uma brasileira nessa corrida), que irão representar a população da Inglaterra, Escócia, Gales e Irlanda do Norte. Como o sistema de lá é o parlamentarismo, o líder do partido que obtiver a maioria absoluta dos votos será escolhido o primeiro-ministro. Como dificilmente isso ocorrerá, provavelmente o vencedor precisará construir uma coligação com um partido menor para garantir de fato a vitória.

Palácio de Westminster, onde ficam as Casas do Parlamento do Reino

Palácio de Westminster, onde ficam as Casas do Parlamento do Reino Unido | Foto: Diliff/CC

Isso soa um pouco estranho para nós brasileiros, que estamos acostumados ao sistema presidencialista tupiniquim, em que costurar alianças políticas das mais improváveis possíveis é a regra para se garantir a tal da governabilidade. As turmas do PMDB e PT sabem muito bem como tirar proveito disso, não é?

Mas voltando aos britânicos, as eleições de hoje ganham importância extra. Não está em jogo apenas quem serão os ocupantes do parlamento, mas a própria permanência do Reino Unido na União Europeia e, ainda mais importante para os britânicos, a própria manutenção do Reino Unido na forma em que está forjado hoje. Dependendo do resultado das urnas e de suas consequências, há grandes chances também da Escócia declarar de vez sua independência da nave-mãe (para entender melhor o que está em jogo, leia o artigo do professor inglês Timothy Garton Ash, publicado no Estadão).

Seja o que for, certo mesmo é que os escolhidos irão se alojar no Palácio de Westminster, onde está o Parlamento do Reino Unido da Grã Bretanha e da Irlanda do Norte.

Palácio de Westminster

O prédio que abriga o parlamento britânico é um dos principais pontos turísticos de Londres. Classificado como Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco, o Palácio de Westminster, às margens norte do rio Tâmisa, fica aberto para visitas aos sábados e durante recessos parlamentares.

No passeio, que custa 25 libras, o visitante poderá ver áreas como o Westminster Hall, Galeria Real, o quarto da rainha, Câmara dos Lordes e a Câmara dos Comuns, cujos integrantes estão sendo eleitos hoje. Também é possível agendar uma visita à Torre Elizabete, onde fica o Big Ben. Ah… Vale lembrar que o Big Ben, na verdade, é o nome dado ao sino do relógio de quatro faces instalado no alto da Torre Elizabete. Ele tem esse nome devido ao arquiteto que projetou a construção, Sir Charles Barry, que era chamado de Big Ben por ser alto e corpulento.

A compra dos ingressos pode ser feita pelo telefone +44 (0)20 7219 4114 ou online.

Ah, uma dica. Não deixe de apreciar o Parlamento visto da margem sul do Tâmisa. Se for em uma tarde de verão, melhor ainda.

Confira abaixo um rápido vídeo do que você irá encontrar por lá.

Como chegar

Ir até o Parlamento é muito fácil: basta descer na estação Westminster do metrô, atendida pelas linhas verde e amarela (sujetivo, não?) e pronto. Confira no mapa abaixo.

Like this Article? Subscribe to Our Feed!

(Visited 476 times, 10 visits today)

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.